Fique injuriada

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

FHC não morreu!

FHC vê rede de corruptos como herança de Lula

O maior desafio político da presidente Dilma Rousseff será desmontar o sistema de corrupção e de fisiologismo criado ao longo do segundo mandato do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva. A tarefa será essencial para garantir a governabilidade e preservar a democracia brasileira de danos maiores, advertiu o tucano Fernando Henrique Cardoso, presidente do Brasil entre 1995 e 2002. A grande interrogação, afirmou Fernando Henrique, está na real capacidade de Dilma Rousseff executar esse desmonte.
 
FHC & Dilma: é namoro ou é amizade?
 
"Espero que a presidente Dilma consiga avançar mais. Mas, para isso, ela terá de alterar as bases de sustentação do governo", afirmou o ex-presidente ao jornal O Estado de S. Paulo ontem em Washington, onde participou da conferência Acabando com a Guerra Mundial contra as Drogas, organizado pelo Cato Institute. "Se ela pode? Esse é o grande ponto de interrogação."

Conforme explicou Fernando Henrique, esse desmonte passa pelo fim da "obsessão" gerada no segundo mandato de Lula de ampliar a base aliada do governo no Congresso Nacional, a partir de concessões de "certos pedaços do Estado" ou do "acesso a recursos" públicos por diferentes setores partidários. O ex-presidente disse não entender a razão dessa necessidade tão premente no governo de Lula e lembrou ter o seu governo conseguido aprovar reformas constitucionais no Congresso sem valer-se de tal artifício.

 
O Que É Isso, Companheiro?


Texto: AE - Agência Estado

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Quem será o próximo?


Injuriadinhas
estão caindo e se queimando


 No embalo da crise que derrubou Palocci, Dilma trocou o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio. Embora não tenha saído, foi realocado na Pesca Leia maisAinda em julho, Nelson Jobim deixa o Ministério da Defesa. Motivo: declarações que desagradaram Dilma, como a revelação de que votou em Serra em 2010 Leia maisNo mês seguinte foi a vez de Alfredo Nascimento deixar o Ministério dos Transportes após ter seu nome envolvido em suspeitas de corrupção na pasta Leia maisPedro Novais, responsável pelo Ministério do Turismo, foi o quinto ministro a sair. Suspeito de usar dinheiro público para pagar sua governanta por sete anos e a de usar motorista da Câmara para transportar sua mulher Leia maisWagner Rossi foi o quarto ministro sair. Ele deixou o Ministério da Agricultura após onda de acusações que incluíram pagamento de propinas, influência de lobistas e aparelhamento político Leia maisO primeiro a deixar o governo de Dilma Rousseff foi Antonio Palocci, em junho, que deixou a Casa Civil após suspeitas sobre o seu patrimônio Leia maisA mais recente baixa no governo foi no Esporte, com a saída de Orlando Silva, suspeito de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes Leia mais












Lupi x Lupi

Planalto já discute com PDT saída de Lupi

Líderes do PDT, partido do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, já começaram a discutir com o Palácio do Planalto o rito para sua substituição na Esplanada.
Segundo a Folha apurou, emissários da presidente Dilma Rousseff avisaram a dirigentes da legenda, como o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SP), que o governo não descarta a saída de Lupi antes da reforma ministerial programada para janeiro de 2012.
Sua situação se agravou após um site do Maranhão divulgar imagens que contrariam a versão de que ele não teria usado, em 2009, um avião providenciado por Adair Meira, dono de ONGs com convênios com a pasta.
Lupi cantava: Há pessoas de nervos de aço,
Sem sangue nas veias e sem coração,
Mas não sei se passando o que eu passo
Talvez não lhes venha qualquer reação.

O ministério havia dito que Lupi se deslocou em um avião modelo Seneca. A foto o mostra, entretanto, descendo de uma aeronave modelo King Air, a mesma que, segundo a "Veja", teria sido providenciada por Meira.
Ontem o site da revista divulgou vídeo com imagens de Meira também participando do evento com Lupi.
Após cinco dias em silêncio no Rio, o ministro antecipou sua volta a Brasília.
Um dos pilares da defesa de Lupi, o presidente interino do PDT, o deputado André Figueiredo (CE), disse ontem à Folha que existem "fatos contraditórios" na história do uso do avião e que espera que o episódio seja esclarecido hoje pelo próprio titular da pasta, que está licenciado da presidência do partido.
"Existem fatos contraditórios. Precisamos ouvir da boca do ministro e a versão do PDT do Maranhão. Precisamos fechar todas as explicações para que não paire nenhum tipo de dúvida", disse André Figueiredo.

Imagem
Loopy Le Beau: sempre dançava no final
mesmo se apresentando como o "lobo bom"

Outro sinal de possível desembarque do PDT da defesa de Lupi foi a desistência do ministro de realizar reunião da direção da legenda, que havia convocado para o próximo sábado.
O objetivo do pedetista era dar uma demonstração de força e de apoio interno em sua própria sigla.
Líderes oposicionistas voltara a cobrar ontem a demissão do ministro.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Lula, faça tratamento pelo SUS!


 Lula lá no SUS

Após o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter sido diagnosticado com câncer de laringe surgiram várias campanhas nas redes sociais pregando que o tratamento fosse feio pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desde sábado, foram criadas 17 páginas, uma foto usada por um internauta para lançar a campanha teve mais de 120 mil compartilhamentos no Facebook. No Twitter, a hashtag #LulanoSUS foi usada 378 vezes.

Nas redes sociais o ex-Presidente Lula continua muito popular
O Hospital Sírio Libanês, onde Lula faz o tratamento, não atende pelo SUS. No entanto, médicos que integram a equipe que assiste o ex-presidente atuam também em hospitais que utilizam o SUS.
Para o deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS), que participou da concepção do SUS, no final dos anos 80, se Lula tem condições de fazer o tratamento "ele tem que fazer". "Se ele pode ter esse atendimento diferenciado, como muitos brasileiros têm, tem que fazer, não é colocando ele na fila que vai mudar alguma coisa".
No entanto, ele acredita que a polêmica gerada no ambiente virtual pode servir como motivação para o governo investir mais na saúde, "para que outros milhões de brasileiros tenham oportunidade de ter um atendimento rápido também". "O SUS não pode ter o menor financiamento da história. No governo Sarney, tinha quase o dobro dos recursos que tem hoje proporcionalmente à receita do País. No governo de Fernando Henrique, tinha 1,5% a mais em média da receita bruta do que se tem hoje", disse o parlamentar defendendo a aprovação da emenda 29 com aumento de recursos para a Saúde, em discussão no Congresso.
Segundo o Ministério da Saúde, o SUS é responsável por 80% dos tratamentos de câncer no País. Segundo o ministro Alexandre Padilha, 30 milhões de procedimentos para tratamento do câncer são realizados por anos pelo SUS. "Várias pessoas estão tratando e curando o câncer. Tratar a doença ajuda as pessoas a perceber que é importante o diagnóstico precoce e enfrentar o preconceito contra o câncer. E a forma como o presidente Lula está lidando com o tratamento vai dar mais esta demonstração", disse.
O atendimento pelo sistema é feito nas Unidades de Assistência de Alta Complexidade (Unacon) e nos Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon). Em São Bernardo do Campo, cidade onde Lula vive, o atendimento é feito pelo Hospital Anchieta São Bernardo do Campo, onde funciona uma Unacon com serviço de radioterapia. Na capital, outras sete unidades fazem o tratamento pelo SUS.
No entanto, um relatório elaborado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), referente a 2010, aponta que a capacidade de atendimento do SUS não atende a demanda. As principais deficiências estão relacionadas à demora na realização de exames e tratamento. O tempo médio entre o diagnóstico e início da quimioterapia é de 76,3 dias. Segundo o levantamento, no ano passado, apenas 35,6% dos pacientes conseguiram iniciar o tratamento nos primeiros 30 dias após a confirmação da doença.
Para a realização de radioterapia, o tempo médio de espera foi de 113,4 dias. Para a cirurgia, o tempo médio foi de 35 dias. Em São Paulo, 15,7% são atendidos em até 77 dias, mas a média é de 100 dias de espera.
Médicos entrevistados para a elaboração do relatório disseram que a demora está relacionada com a dificuldade para realização de exames e outros procedimentos de diagnóstico. A biópsia, procedimento que identificou o câncer em Lula, foi apontado, por 73,5% dos médicos, como um dos mais demorados.
Para se ter uma ideia do problema, em países com o Canadá, o tempo médio de espera para o início do tratamento é de seis dias. No Reino Unido, em 92% dos casos o tempo médio de espera é de 15 dias.

Média de 100 dias de espera; até lá já encontrei Jesus